AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

Oportunidades trazidas pelo uso da nanotecnologia na indústria

Workshop

As vantagens da aplicação da nanotecnologia no setor industrial foram debatidas, nesta quinta-feira (3), na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), com a apresentação das possibilidades de sua utilização na melhoria de produtos e processos. “Os sistemas convencionais de produção, gradualmente, estão ficando obsoletos. Desta forma, enfatizamos aqui a importância da adesão na utilização de toda a tecnologia possível da indústria 4.0, na qual a nanotecnologia tem um papel muito importante”, destacou o diretor da FIERGS, Carlos Pretto Martini, na abertura do workshop “Nanotecnologia em produtos industriais: alavancagem para geração de negócios”.

Na indústria, a nanotecnologia está em produtos como calçados, tecidos, cosméticos, medicamentos, automóveis e telefones celulares, sendo bastante utilizada também em alimentos, energia, cerâmica, plásticos e polímeros, siderurgia e microeletrônica, por exemplo. Segundo dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), divulgados pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o mercado mundial de produtos nanotecnológicos deve movimentar R$ 9 trilhões até o fim deste ano. “Queremos estimular a percepção da indústria sobre o potencial da nanotecnologia na inovação”, disse a especialista em projetos da ABDI, Cleila Guimarães Pimenta.  “É o momento de se apropriar deste conhecimento gerado. Apenas 1,8% das indústrias de transformação se apropriam da nanotecnologia. É fundamental criar pontes que levem este conhecimento para a indústria”, ressaltou Cleila.

E uma dessas pontes é a academia. Segundo o doutor em ciências do Centro de Nanociência e Nanotecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), João Alziro da Jornada, o desenvolvimento desta tecnologia é uma ótima oportunidade para a cooperação entre universidades e empresas. Também esteve presente ao evento o gerente técnico da Gerência de Inovação e Tecnologia do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-RS), Rovanir Baungartner. O Senai-RS, por meio de seus Institutos de Tecnologia e Inovação, e a Ufrgs,  buscam cooperação na área da nanotecnologia.

O workshop foi realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), FIERGS, por meio do Conselho de Inovação e Tecnologia (Citec), Senai-RS e ABDI, juntamente com a Ufrgs. Ainda este ano, estão previstos mais dois eventos deste molde, em Santa Catarina e Goiás. “Queremos que os participantes consigam visualizar a nanotecnologia como possibilidade para geração de negócios e para tornar as empresas mais competitivas”, disse o analista de políticas e indústria da CNI, Cristiano Silva.

Casos de sucesso na aplicação da nanotecnologia também foram apresentados no workshop. A Dublauto, que atua na fabricação de componentes para calçados, teve a sua estreia em nanotecnologia marcada pela introdução de nanopartículas de prata em tecidos para palmilhas de calçados, criando um produto que inibe o odor. “Depois de conhecer a nanotecnologia, vimos que a inovação era um caminho totalmente viável”, conta o diretor industrial da indústria, Evandro Wolfart. Desde 2006, a indústria participou de oito editais de inovação com o viés em projetos de nanotecnologia. A experiência foi tão positiva, que o grupo Dublauto está aplicando a tecnologia em uma nova marca, a Phycea, que vai atuar em produtos de beleza e saúde naturais, como máscaras elaboradas a partir de algas e polissacarídeos.

Já a Klintex Insumos Industriais, de Cachoeirinha, apresentou a aplicação da nanotecnologia no processo de pré-tratamento de pinturas metálicas para elevar a aderência e a proteção contra corrosão. O processo mais utilizado para esse fim nos últimos cem anos era a fosfatização, com elevada geração de efluentes, como fósforo e zinco, além de lodo. Por meio da nanotecnologia a base de água, foi possível reduzir em cerca de mil vezes essa emissão.

A Fras-Le, de Caxias do Sul, mostrou alguns dos resultados obtidos a partir de pesquisas para material de fricção (pastilhas e lonas de freio).

Nesta sexta-feira (4), a programação prevê visitas ao Centro de Tecnologia da Braskem, em Triunfo, e ao Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros, em São Leopoldo.


Crédito foto: Dudu Leal