Você está aqui

Engenharia de Polímeros

Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros
Credenciado por

O Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros iniciou suas atividades em outubro de 1992 como CETEPO - Centro Tecnológico de Polímeros em São Leopoldo - RS.

O Instituto está estabelecido no âmbito do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira. A rede nacional de 25 Institutos de Inovação e 57 Institutos de Tecnologia foi concebida a partir do incentivo da Mobiliação Empresarial pela Inovação (MEI), movimento que concentra mais de 150 lideranças das maiores empresas brasileiras, coordenado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) 

O Instituto atua em projetos de pesquisa aplicada, desenvolvimento e inovação, consultorias tecnológicas e serviços metrológicos na área de polímeros. Também desenvolve atividades de difusão do conhecimento através de eventos técnicos e cursos abertos ou in-company na área de polímeros.

Conta com profissionais qualificados, infraestrutura e equipamentos modernos (acesse lista), com capacidade para atender às mais diversas demandas tecnológicas e atua como indutor de inovação na indústria brasileira.

O Instituto é uma unidade credenciada pela EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) para desenvolver projetos de PDI em suas áreas de competência. Isso significa que os projetos de inovação da sua empresa podem ter custos e riscos reduzidos - saiba mais clicando no link acima ou entre em contato conosco.

EMBRAPII - Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial

O que é EMBRAPII?

É uma Organização Social (OS) pelo Poder Público Federal financiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e pelo Ministério da Educação (MEC).

Qual a missão da EMBRAPII?

Contribuir para o desenvolvimento da inovação na indústria brasileira por meio do fortalecimento de sua colaboração com institutos de pesquisas e universidades.

Como a EMBRAPII contribui para o desenvolvimento da inovação na indústria brasileira?

A EMBRAPII tem um modelo de atuação que permite agilidade, flexibilidade e risco reduzido no apoio a projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) das empresas – características fundamentais para o processo de inovação.

Os recursos não reembolsáveis administrados pela EMBRAPII são utilizados nos projetos entre empresas e instituições de pesquisa, credenciadas por sua excelência, foco tecnológico e capacidade de atender às demandas de PD&I das empresas.

Como funciona o sistema EMBRAPII?

A empresa pode dividir os custos de projetos de PD&I com a Unidade EMBRAPII e a EMBRAPII, que contribui com até um terço dos custos dos projetos de suas Unidades, reduzindo o aporte financeiro necessário para a inovação. Dessa forma, os riscos e os custos diminuem, e com maior conteúdo tecnológico das inovações, a competitividade empresarial aumenta.

Como são os contratos EMBRAPII?

A negociação é feita diretamente entre a empresa e a Unidade EMBRAPII, sem intermediários. Os contratos são fechados em dois meses.

As Unidades EMBRAPII (UE) credenciadas estão habilitadas a prospectar e executar projetos de inovação em parceria com empresas, na área de competência definida, pelo período de seis anos.

Por que os projetos de inovação EMBRAPII são garantia de sucesso?

  • As empresas e Unidades EMBRAPII possuem autonomia para firmar e executar projetos de PD&I.
  • O foco é 100% na demanda empresarial.
  • Compromisso com resultados.
  • Gestão de projetos.
  • Capacitação de profissionais e infraestrutura.
  • Acordo entre as empresas e a Unidade EMBRAPII sobre a propriedade intelectual.
  • Menor risco e custo para as empresas.

Quais sãos as competências tecnológicas do Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros?

Desenvolvimento de materiais não metálicos naturais e sintéticos, que demandam diferentes tecnologias de obtenção, caracterização e processamento, identificadas ao longo da cadeia produtiva da indústria de polímeros, de interesse e aplicação em engenharia e pelas empresas industriais.

Nesta cadeia estão as indústrias Petroquímica e Química, produtoras de matérias-primas; em seguida estão as empresas de processamento que incluem as indústrias dos setores da Borracha, do Plástico, de Compósitos, de Tintas e Adesivos. Na sequência, estão os usuários de produtos de base polimérica, que fabricam bens e produtos finais utilizando-se destes últimos como insumos e componentes, tais como os setores automotivo, naval, saúde, médico-hospitalar, calçadista, aeronáutico, construção civil, embalagens, brinquedos, saneamento, máquinas agrícolas, equipamentos, petróleo, gás, entre outros.

Em quais linhas de atuação o Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros está credenciado pela EMBRAPII?

  • Compósitos: desenvolvimento de blendas e compósitos, incluindo aditivação, processamento e reforço de elastômeros e termoplásticos.
  • Elastômeros (borracha): desenvolvimento de elastômeros, incluindo aditivação, processamento e reforço.
  • Plásticos: desenvolvimento de novos materiais poliméricos, projetos de rotas e processos químicos focados na reciclagem de insumos e materiais poliméricos.
  • Tintas e adesivos: desenvolvimento de tintas e adesivos sustentáveis para aplicações especiais.

O Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros é uma das unidades EMBRAPII pronta para responder às demandas industriais. Para mais informações entre em contato conosco.

Fechar
Laboratórios
+3
Laboratório Instrumental II
+3
Laboratório Instrumental I
+2
Laboratório Físico-Mecânico
+2
Laboratório Envelhecimento Acelerado
+0
Laboratório Ensaios em Embalagens
Fechar
Equipe
André Cechin Garay

É Engenheiro Químico pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Mestre em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul -UFRGS e Doutor em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais pela UFRGS. Possui experiência profissional acadêmica como professor e coordenador de curso de graduação, sendo na Engenharia Química e Materiais. Como co-fundador da empresa PGF Compósitos Ltda, empresa responsável pela transformação de materiais compósitos, reforçados com fibras sintéticas e naturais. No Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros, atua em pesquisa e desenvolvimentos nas áreas de materiais compósitos, processamento (RTM, RTM Light, infusão), fibras vegetais, vidro e carbono e compósitos estrutura sanduíche.

Cristiane Miotto Becker

É Química Industrial pela UFRGS, mestrado em Engenharia com ênfase em Engenharia de Materiais - UFRGS, com dissertação na área de polímeros condutores e membranas para uso como eletrólito polimérico em células à combustível, doutorado com tese na área de compósitos estruturais com propriedades antichama e nanocompósitos com propriedades específicas - UFRGS, pós-doutorado na área de compósitos de matriz polimérica contendo nanotubos de carbono- UFRGS. No Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros atua em pesquisa e desenvolvimento nas áreas compósitos estruturais, nanobiocompósitos, polímeros biocompatíveis, nanocargas com propriedades funcionais e polímeros para aplicação no setor de óleo e gás.

Carmem Rosane Isse Gomes

É Bacharel em Química , formada pela Pontifícia Universidade Católica  do Rio Grande do Sul- PUCRS. Possui mestrado em Engenharia de Materiais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRGS e doutorado em Ciência dos Materiais em Metais e Ligas - UFRGS em cooperação com a Université Marie Curie (Paris VI). Possui experiência industrial e acadêmica em pesquisa e desenvolvimento de novos materiais, atuando principalmente no desenvolvimento de produtos para segmento calçadista. No Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros, atua em pesquisa e desenvolvimento nas áreas novos materiais e adesivos.

Vinícius Oliveira

É Engenheiro de Materiais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul- UFRGS e Mestre em Engenharia de Materiais - UFRGS. Possui experiência profissional na área de processamento e formulação de elastômero e de termoplásticos. No Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros atua em pesquisa e desenvolvimento nas áreas de elastômeros e termoplásticos. 

Fechar
Equipamento
  • Aparelho de secagem de filmes
  • Aparelho de Aderência
  • Aparelho de abrasão / lavabilidade
  • Durômetro König
  • Placa de temperatura mínima de formação de filmes
  • Grindômetro
  • Teste de Tack por Rolling Ball
  • Aparelho de dureza a Lápis
  • Aparelho para Determinação Cor e Brilho
  • MandrilCônico
  • Medidor de Espessura de Camadas
  • Dispersor Mecânico
  • Aplicador de Filmes
  • Dispersor Ultra-turrax
  • Cabine de Pintura
  • Aplicador de Adesivo Hot Melt
  • Câmara de Biodegradabilidade
  • Analisador de carbono orgânico (TOC)
  • Avaliação da compostabilidade de materiais plásticos
  • Determinação de efeitos ecotóxicos para plantas
  • Cromatógrafo a gás acoplado a espectrometria de massas em tandem (GC-MSMS)
  • Cromatógrafo a Gás acoplado acoplado a diferentes detectores (GCFID-ECD-TCD-NPD-FPD)
  • Cromatógrafo a Gás acoplado ao Thermal Energy Analysis (GC-TEA)
  • Cromatógrafo a Gás Acoplado a espectrometria de massas (GC-MS)
  • Cromatógrafo Líquido acoplado ao espectrômetro de massas de alta resolução (UHPLC-HRMS)(5)
  • Cromatógrafo Líquido acoplado ao detector Arranjo de Diodo (HPLCDAD)
  • Cromatógrafo para permeação em gel (GPC)
  • Permeabilidade a Gases (CO2, O2, vapor d’água)
  • Refractômetro
  • Tensiômetro
  • Viscosímetro Relativo
  • Microscópio eletrônico de varredura (MEV) com Espectroscopia de Energia Dispersiva de Raio-X (EDX)
  • Microscópio de Força Atômica (AFM)
  • Estereomicroscópio
  • Ultracriomicrótomo
  • Analisador de tamanho e distribuição de partículas por granulometria a laser em escala micro
  • Analisador do tamanho e distribuição do tamanho de partículas em escala nano e analisador da estabilidade de emulsões
  • Potencial Zeta
  • Flexômetro
  • Abrasímetro
  • Deformação Permanente à Compresão
  • Relaxação de Stress
  • Resiliômetro
  • Durômetros Shore A,D,OO, IRHD, Micro IRHD e Asker C
  • Dinamômetro
  • Queda de Dardos
  • Impacto Izod, Charpy
  • HDT e Vicat
  • Inflamabilidade: Câmaras ASTM, UL e FMVSS 302
  • Permeabilidade a O2, Vapor d’água, CO2
  • Resistência a fluídos
  • Creep e Fluencia sob
  • Câmara de Inflamabilidade
  • Câmara de inflamabilidade para indústria automobilística FMVSS 302
  • Propagação de chama por Painel Radiante
  • Estufas
  • Câmaras de Xenon test
  • Câmara UV
  • Câmara de Ozônio
  • Ciclos Climáticos
  • Salt Spray
  • Umidade Saturada
  • Analisador Termogravimétrico (TGA)
  • Calorímetro Diferencial de Varredura
  • Fluorescência de Raios-X
  • FTIR acoplado a microscópio ótico
  • Analisador Termogravimétrico acoplado a espectrômetro de massas
  • Espectrofotômetro de emissão ótica com plasma indutivamente acoplado (ICP-OES)

Editais e Fomento

O SENAI-RS aceita o Cartão BNDES em vários de seus serviços. Conheça mais sobre essa possibilidade de financia...
Quer saber mais sobre a Indústria 4.0? Então você está no lugar certo. ​Queremos garantir que você e a sua emp...
Inovar é fundamental para a competitividade da indústria brasileira. O Edital de Inovação para a Indústria é u...

Cases

A empresa gaúcha Mercobor procurou o Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros para realizar o aperfeiçoamento do processo prod...
Manopla em polímero de alto desempenho – maior mobilidade para cirurgiões.
Produto inovador: construção e acabamento em menor tempo.

Documentos e Publicações

2016
Polymer–filler interactions in a tire compound reinforced with silica
Elastomers, usually, are reinforced with reinforcing filler in order to improve their mechanical properties like tensile strength and abrasion resistance. The efficiency of this reinforcement is corr
Jordão Gheller Jr, Manoela V Ellwanger, Vinícius Oliveira
2014
Pintura para polimetil-metacrilato (PMMA)
Qual o tipo de pintura em cor que o PMMA (acrílico) pode receber, de forma que sua aderência com outra chapa de PMMA (acrílico) crua, através de fita adesiva dupla-face, não seja comprometida por desc
Ana Claudia Kleinschmidt
2014
Performance of the jatropha vegetable-base soluble cutting oil as a renewable source in the aluminum alloy 7050-T7451 milling
This article aimed at collecting data on the performance of a new product – the jatropha vegetable-base soluble cutting oil – in relation to other canola oils (vegetable), synthetic (jatropha ester),
Carlos Alberto Schuch Bork, Janaina Fracaro de Souza Gonçalves, Jefferson de Oliveira Gomes, Jordão Gheller
2006
Óleos de Processo
Os chamados óleos de processo, utilizados em compostos de borracha, podem ser utilizados tanto durante a produção de um polímero (onde são chamados de óleos de extensão) ou nos compostos de borracha (
Jordão Gheller, Melissa Peron e Sá Carneiro de Sousa
2007
Nanotecnologia em Compostos Poliméricos
Este dossiê apresenta informações sobre a nanotecnologia em compósitos poliméricos, principais tipos de nanocargas, interação polímero-nanocarga e fatores que podem aumentar esta interação, processos
Adriana Tedesco
2016
Nanocargas como uma alternativa para compostos de borracha de alta performance
Composições elastoméricas de borracha fluorada (FKM) com 1, 2, 4, 6, 8 e 10 phr de nanotubos de carbono de paredes múltiplas (MWCNT) como carga única e na presença de negro de fumo (NF) (composições h
Felipe G. Ornaghi, Jordão Gheller Jr., Ana C. dos Santos, Marly A. M. Jacobi
Apoio
Realização com apoio do BNDES, integra uma rede de 25 institutos de inovação e 58 institutos de tecnologia no Brasil.

Fale Conosco

Para entrar em contato, preencha o formulário ao lado.

Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros
Fone: (51) 3904-2700
Av. Pres. João Goulart, 682
São Leopoldo/RS