Você está aqui

Engenharia de Polímeros

Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros
Credenciado por

O Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros iniciou suas atividades em outubro de 1992 como CETEPO - Centro Tecnológico de Polímeros em São Leopoldo - RS.

O Instituto está estabelecido no âmbito do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira. A rede nacional de 25 Institutos de Inovação e 57 Institutos de Tecnologia foi concebida a partir do incentivo da Mobiliação Empresarial pela Inovação (MEI), movimento que concentra mais de 150 lideranças das maiores empresas brasileiras, coordenado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) 

O Instituto atua em projetos de pesquisa aplicada, desenvolvimento e inovação, consultorias tecnológicas e serviços metrológicos na área de polímeros. Também desenvolve atividades de difusão do conhecimento através de eventos técnicos e cursos abertos ou in-company na área de polímeros.

Conta com profissionais qualificados, infraestrutura e equipamentos modernos (acesse lista), com capacidade para atender às mais diversas demandas tecnológicas e atua como indutor de inovação na indústria brasileira.

O Instituto é uma unidade credenciada pela EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) para desenvolver projetos de PDI em suas áreas de competência. Isso significa que os projetos de inovação da sua empresa podem ter custos e riscos reduzidos - saiba mais clicando no link acima ou entre em contato conosco.

EMBRAPII - Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial

O que é EMBRAPII?

É uma Organização Social (OS) pelo Poder Público Federal financiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e pelo Ministério da Educação (MEC).

Qual a missão da EMBRAPII?

Contribuir para o desenvolvimento da inovação na indústria brasileira por meio do fortalecimento de sua colaboração com institutos de pesquisas e universidades.

Como a EMBRAPII contribui para o desenvolvimento da inovação na indústria brasileira?

A EMBRAPII tem um modelo de atuação que permite agilidade, flexibilidade e risco reduzido no apoio a projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) das empresas – características fundamentais para o processo de inovação.

Os recursos não reembolsáveis administrados pela EMBRAPII são utilizados nos projetos entre empresas e instituições de pesquisa, credenciadas por sua excelência, foco tecnológico e capacidade de atender às demandas de PD&I das empresas.

Como funciona o sistema EMBRAPII?

A empresa pode dividir os custos de projetos de PD&I com a Unidade EMBRAPII e a EMBRAPII, que contribui com até um terço dos custos dos projetos de suas Unidades, reduzindo o aporte financeiro necessário para a inovação. Dessa forma, os riscos e os custos diminuem, e com maior conteúdo tecnológico das inovações, a competitividade empresarial aumenta.

Como são os contratos EMBRAPII?

A negociação é feita diretamente entre a empresa e a Unidade EMBRAPII, sem intermediários. Os contratos são fechados em dois meses.

As Unidades EMBRAPII (UE) credenciadas estão habilitadas a prospectar e executar projetos de inovação em parceria com empresas, na área de competência definida, pelo período de seis anos.

Por que os projetos de inovação EMBRAPII são garantia de sucesso?

  • As empresas e Unidades EMBRAPII possuem autonomia para firmar e executar projetos de PD&I.
  • O foco é 100% na demanda empresarial.
  • Compromisso com resultados.
  • Gestão de projetos.
  • Capacitação de profissionais e infraestrutura.
  • Acordo entre as empresas e a Unidade EMBRAPII sobre a propriedade intelectual.
  • Menor risco e custo para as empresas.

Quais sãos as competências tecnológicas do Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros?

Desenvolvimento de materiais não metálicos naturais e sintéticos, que demandam diferentes tecnologias de obtenção, caracterização e processamento, identificadas ao longo da cadeia produtiva da indústria de polímeros, de interesse e aplicação em engenharia e pelas empresas industriais.

Nesta cadeia estão as indústrias Petroquímica e Química, produtoras de matérias-primas; em seguida estão as empresas de processamento que incluem as indústrias dos setores da Borracha, do Plástico, de Compósitos, de Tintas e Adesivos. Na sequência, estão os usuários de produtos de base polimérica, que fabricam bens e produtos finais utilizando-se destes últimos como insumos e componentes, tais como os setores automotivo, naval, saúde, médico-hospitalar, calçadista, aeronáutico, construção civil, embalagens, brinquedos, saneamento, máquinas agrícolas, equipamentos, petróleo, gás, entre outros.

Em quais linhas de atuação o Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros está credenciado pela EMBRAPII?

  • Compósitos: desenvolvimento de blendas e compósitos, incluindo aditivação, processamento e reforço de elastômeros e termoplásticos.
  • Elastômeros (borracha): desenvolvimento de elastômeros, incluindo aditivação, processamento e reforço.
  • Plásticos: desenvolvimento de novos materiais poliméricos, projetos de rotas e processos químicos focados na reciclagem de insumos e materiais poliméricos.
  • Tintas e adesivos: desenvolvimento de tintas e adesivos sustentáveis para aplicações especiais.

O Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros é uma das unidades EMBRAPII pronta para responder às demandas industriais. Para mais informações entre em contato conosco.

Fechar
Laboratórios
+0
Laboratório Ensaios de Calor e Fogo
+1
Laboratório Ensaios em Tintas
+2
Laboratório Dinâmico-Mecânico
Fechar
Equipe
André Wentz

É Engenheiro Mecânico pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Possui mestrado em e  MBA em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas – FGV. Com experiência profissional de nove anos de no desenvolvimento e certificação de produtos aeronáuticos. Atuou durante quatro anos como Gerente de Desenvolvimento de Produtos em indústria aeronáutica fabricante de sistemas para modificações em aeronaves.  Vivência profunda em análise estrutural pelo Método dos Elementos Finitos e na elaboração de Planos de Projeto para chamadas de financiamento por subvenção econômica de projetos de inovação. Experiência em certificação de indústria aeronáutica segundo requisitos do FAA, ANAC e NBR 15100. No Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros atua em pesquisa e desenvolvimento na área de materiais compósitos para aplicação nos setores de Óleo & Gás e Defesa.

Karin Brito

É Química Industrial, formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRGS. Possui mestrado em Engenharia de Materiais com ênfase em Polímeros pela UFRGS. Com extensão universitária em Tecnologia dos Elastômeros pela UFRGS. Atuou como supervisora de laboratório e desenvolvimento em indústrias de artefatos de borracha. Possui experiência industrial na área de tecnologia dos elastômeros e micronização de borracha, atuando principalmente no desenvolvimento de formulações de compostos e produtos de borracha. No Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros atua em pesquisa e desenvolvimento nas áreas de elastômeros, látices naturais e sintéticos.

Luciano Santos da Silva

É Bacharel em Administração e Engenharia de Produção, formado pela Faculdade de Tecnologia-FTEC. Possui Especialização em Engenharia de Produção pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci. Possui mestrado em Design pela Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRGS. Possui experiência industrial e acadêmica em engenharia de produto, engenharia reversa, usinagem e manufatura aditiva, atuando principalmente em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e processos de fabricação. No Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros, desenvolve consultorias tecnológicas em processo e produto na área de materiais poliméricos, design conceitual, análise de falhas, simulação computacional, gestão de processos por Lean Manufacturing e Six Sigma.

Josemar Luis Stefens

É Químico Industrial e Bacharel em Química, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Possui mestrado em Química Analítica e Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Possui experiência em ensaios instrumentais, envolvendo as ténicas de cromatografia a gás e líquida, e espectrometria de massas na área de materiais poliméricos. Atua como coordenador e responsável técnico pelo Laboratório de Ensaios do Instituto Senai de Inovação em Engenharia de Polímeros.

Fechar
Equipamento
  • Aparelho de secagem de filmes
  • Aparelho de Aderência
  • Aparelho de abrasão / lavabilidade
  • Durômetro König
  • Placa de temperatura mínima de formação de filmes
  • Grindômetro
  • Teste de Tack por Rolling Ball
  • Aparelho de dureza a Lápis
  • Aparelho para Determinação Cor e Brilho
  • MandrilCônico
  • Medidor de Espessura de Camadas
  • Dispersor Mecânico
  • Aplicador de Filmes
  • Dispersor Ultra-turrax
  • Cabine de Pintura
  • Aplicador de Adesivo Hot Melt
  • Câmara de Biodegradabilidade
  • Analisador de carbono orgânico (TOC)
  • Avaliação da compostabilidade de materiais plásticos
  • Determinação de efeitos ecotóxicos para plantas
  • Cromatógrafo a gás acoplado a espectrometria de massas em tandem (GC-MSMS)
  • Cromatógrafo a Gás acoplado acoplado a diferentes detectores (GCFID-ECD-TCD-NPD-FPD)
  • Cromatógrafo a Gás acoplado ao Thermal Energy Analysis (GC-TEA)
  • Cromatógrafo a Gás Acoplado a espectrometria de massas (GC-MS)
  • Cromatógrafo Líquido acoplado ao espectrômetro de massas de alta resolução (UHPLC-HRMS)(5)
  • Cromatógrafo Líquido acoplado ao detector Arranjo de Diodo (HPLCDAD)
  • Cromatógrafo para permeação em gel (GPC)
  • Permeabilidade a Gases (CO2, O2, vapor d’água)
  • Refractômetro
  • Tensiômetro
  • Viscosímetro Relativo
  • Microscópio eletrônico de varredura (MEV) com Espectroscopia de Energia Dispersiva de Raio-X (EDX)
  • Microscópio de Força Atômica (AFM)
  • Estereomicroscópio
  • Ultracriomicrótomo
  • Analisador de tamanho e distribuição de partículas por granulometria a laser em escala micro
  • Analisador do tamanho e distribuição do tamanho de partículas em escala nano e analisador da estabilidade de emulsões
  • Potencial Zeta
  • Flexômetro
  • Abrasímetro
  • Deformação Permanente à Compresão
  • Relaxação de Stress
  • Resiliômetro
  • Durômetros Shore A,D,OO, IRHD, Micro IRHD e Asker C
  • Dinamômetro
  • Queda de Dardos
  • Impacto Izod, Charpy
  • HDT e Vicat
  • Inflamabilidade: Câmaras ASTM, UL e FMVSS 302
  • Permeabilidade a O2, Vapor d’água, CO2
  • Resistência a fluídos
  • Creep e Fluencia sob
  • Câmara de Inflamabilidade
  • Câmara de inflamabilidade para indústria automobilística FMVSS 302
  • Propagação de chama por Painel Radiante
  • Estufas
  • Câmaras de Xenon test
  • Câmara UV
  • Câmara de Ozônio
  • Ciclos Climáticos
  • Salt Spray
  • Umidade Saturada
  • Analisador Termogravimétrico (TGA)
  • Calorímetro Diferencial de Varredura
  • Fluorescência de Raios-X
  • FTIR acoplado a microscópio ótico
  • Analisador Termogravimétrico acoplado a espectrômetro de massas
  • Espectrofotômetro de emissão ótica com plasma indutivamente acoplado (ICP-OES)

Editais e Fomento

O SENAI-RS aceita o Cartão BNDES em vários de seus serviços. Conheça mais sobre essa possibilidade de financia...
Quer saber mais sobre a Indústria 4.0? Então você está no lugar certo. ​Queremos garantir que você e a sua emp...
Inovar é fundamental para a competitividade da indústria brasileira. O Edital de Inovação para a Indústria é u...

Cases

Manopla em polímero de alto desempenho – maior mobilidade para cirurgiões.
Produto inovador: construção e acabamento em menor tempo.

Documentos e Publicações

2014
Influence of different components in a TPV PP/EPDM based with low hardness
Thermoplastic vulcanizates (TPVs) are a class of polymeric material obtained by dynamic vulcanization of an elastomer in a melted thermoplastic matrix. This work intend to evaluate different variables
J. Gheller, M.M. Jacobi
2014
Laboratórios para ensaios em pisos de borracha
Indica laboratórios para realização de ensaios em tapetes de borracha conforme a norma regulamentadora NR 17.
Ana Claudia Kleinschmidt
2014
Procedimentos para ensaio de abrasão conforme norma DIN 53.516
Apresenta o procedimento para realização de ensaio de abrasão conforme a norma alemã DIN 53.516.
Ana Claudia Kleinschmidt
2014
Processo de moldagem de polímeros termoplásticos com metais
Processamento de polímeros termoplásticos reforçados com metais, na forma de pó metálico.
André Luís Catto
2015
Resistência à chama de materiais empregados na construção civil
Informações sobre a classificação de materiais conforme a sua resistência à chama, utilizando normas nacionais e internacionais.
André Luís dos Santos da Silva
2015
Defeitos em Painéis Sanduíche
Informações sobre defeitos em painéis sanduíche
André Luís dos Santos da Silva
Apoio
Realização com apoio do BNDES, integra uma rede de 25 institutos de inovação e 60 institutos de tecnologia no Brasil.

Fale Conosco

Para entrar em contato, preencha o formulário ao lado.

Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros
Fone: (51) 3904-2700
Av. Pres. João Goulart, 682
São Leopoldo/RS