Você está aqui

Trabalhe com o que você mais ama nesse mundo: TV, Internet e rádio. Seja via satélite, por cabos de fibra óptica ou por ondas, as redes de comunicação de dados de empresas do mundo inteiro precisam de profissionais que garantam a qualidade e a segurança de ponta a ponta. Aprenda tudo sobre sistemas de transmissão e seja um especialista no mercado de telecomunicações.

Tecnologia da Informação
2590 horas

Grau de Instrução: ENSINO MÉDIO COMPLETO

Coordenador do Curso: Prof. Me. Leandro José Cassol
Grau conferido: Tecnólogo(a) em Sistemas de Telecomunicações
Titulação Profissional: Tecnólogo(a) em Telecomunicações
Ato de Autorização do Curso: Portaria MEC nº 173, de 22/11/2006 (DOU de 24/11/2006)
Ato de Reconhecimento do Curso: Portaria MEC nº 446, de 01/11/2011 (DOU de 03/11/2011)
Ato de Renovação do Reconhecimento do Curso: Portaria MEC nº 317, de 15/07/2016 (DOU de 18/07/2016)
Conceito do MEC: Curso reconhecido com conceito 4 pelo MEC (Ministério da Educação), em uma pontuação que vai de 1 a 5, o que confirma a excelência de sua qualidade.
Número de Vagas: 50 vagas anuais
Turno de Funcionamento: Noturno
Carga Horária Total do Curso: 2.520h + 70h de TCC
Prazo de Integralização da Carga Horária: Mínimo de 6 semestres e máximo de 10 semestres
Em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais, o curso não possui estágio curricular obrigatório.

NDE – Núcleo Docente Estruturante
O Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso de Sistemas de Telecomunicações é composto por 5 docentes, incluindo o coordenador de curso. O NDE atua diretamente na implantação e na consolidação do projeto pedagógico do curso por meio da análise continua dos processos educacionais. Para isso, o NDE realiza reuniões sistêmicas de trabalho, conforme plano de trabalho. O NDE do curso tem atuado fortemente no curso por meio das seguintes ações:
- auxilio e assessoramento na concepção e atualização do Projeto Pedagógico do Curso;
- condução dos trabalhos de reestruturação curricular;
- discussão sobre formas de avaliação dos processos de ensino e aprendizagem;
- monitoramento e acompanhamento das atividades desenvolvidas no curso;
- análise dos resultados dos processos de avaliação externa de outros cursos, aplicáveis ao curso de tecnologia em Sistemas de Telecomunicações e autoavaliação;
- acompanhamento e implementação das concepções pedagógicas estabelecidas no projeto pedagógico do curso e da infraestrutura para realização do curso.

Os membros do NDE são designados pelo diretor, atendendo aos requisitos do MEC. O NDE tem regulamento próprio estabelecido pela resolução nº. 17 do Conselho Superior, de 17 de dezembro de 2010.

Integrantes do NDE:

- Prof. Leandro José Cassol (Coordenador do Curso e do NDE)
Titulação: Mestre em Engenharia Elétrica pela UFRGS
Regime de Trabalho: Tempo Integral

- Prof. Alexandre Gaspary Haupt
Titulação: Mestre em Engenharia Elétrica
Regime de Trabalho: Tempo Integral

- Prof. Ricardo Becker
Titulação: Mestre em Engenharia Elétrica pela PUCRS
Regime de Trabalho: Tempo Parcial

- Prof. Taciano Ares Rodolfo
Titulação: Mestre em Ciência da Computação pela PUCRS
Regime de Trabalho: Tempo Integral

- Prof. Vandersílvio da Silva
Titulação: Mestre em Computação pela UFRGS
Regime de Trabalho: Tempo Parcial

Conselho de Curso
A composição e o funcionamento do conselho de curso superior de tecnologia em Sistemas de Telecomunicações da Faculdade de Tecnologia SENAI estão descritos na seção 3, artigos 12, 13 e 14 do Regimento Interno da Faculdade.
Composição atual do conselho de curso de Sistemas de Telecomunicações:

- Prof. Leandro José Cassol (Coordenador do Curso e Presidente do Conselho)
- Prof. Joao Miguel Lac Roehe (Representante docente)
- Prof. Ricardo Becker (Representante docente)
- Prof. Romar Bolfe Rubert Junior (Representante docente)
- Cleber José Wischhimer (Representante discente)
- Guilherme Becker (Representante discente)
Art. 13. O conselho de curso, como colegiado, reúne-se, ordinariamente, uma vez por semestre e extraordinariamente quando convocado por seu presidente, ou por requerimento de um terço de seus membros.
Parágrafo único. Na ausência do coordenador de curso, as reuniões são presididas pelo docente designado pelo coordenador de curso.

Ao conselho de curso compete:
I - acompanhar a implementação do projeto pedagógico, zelando pela qualidade do processo de ensino-aprendizagem;
II - promover ações de estímulo, apoio e atualização do corpo docente no campo didático-pedagógico;
III - acompanhar o corpo docente e discente em questões relacionadas ao aproveitamento escolar e a inserção no meio acadêmico;
IV - opinar sobre assuntos pertinentes que lhe sejam submetidos pela direção;
V - propor à direção o desenvolvimento de projetos acadêmicos com a participação da comunidade externa;
VI - apreciar recurso encaminhado por aluno decorrente da aplicação de medidas disciplinares de afastamento temporário ou de desligamento da Faculdade;
VII - apreciar e encaminhar para aprovação da direção projetos de pesquisas; e
VIII - propor melhorias no projeto pedagógico do curso e na reorganização da estrutura curricular sempre que necessário.

Formar profissionais com competências para especificar, projetar, planejar, desenvolver, implantar, integrar, certificar, manter e gerenciar sistemas de telecomunicações incluindo a infraestrutura de informática e redes de telecomunicações. Analisar e propor alternativas de integração, convergência, compatibilidade e eficiência da infraestrutura de sistemas de telecomunicações, considerando as redes e os equipamentos de informática envolvidos. Vistoriar, realizar perícia, avaliar, emitir laudo e parecer técnico em sua área de formação.

O profissional de sistemas de telecomunicações atua em planejamento, implantação, manutenção e gerenciamento dos diferentes sistemas, como a comunicação de dados nas redes LAN, WAN, Internet e Intranet, serviços de telefonia fixa e móvel, TV a cabo, TV digital, serviços telemáticos e outros. Ele desenvolve, implanta, administra e gerencia sistemas de transmissão de sinais por meio de satélites, cabos metálicos, fibras ópticas e micro-ondas. Aprimora o padrão de qualidade, confiabilidade e segurança das informações transmitidas e recebidas. O tecnólogo também atua nas redes de telefonia fixa e móvel, gerencia a operação, estuda a viabilidade de sistemas e acompanha o cabeamento e a conexão de dispositivos para comunicação de dados a distância. O profissional pode também analisar projetos de telecomunicações identificando as necessidades do cliente com vistas ao suporte, venda e implementação de soluções integradas que agregam valor ao negócio da empresa, desenhando novas opções de equipamentos e tecnologias, identificando o melhor produto para atender as necessidades colocadas; pode coordenar profissionais envolvidos em projetos, controle de qualidade, elaboração de relatórios de desempenho e cumprimento de tarefas, previsão e cobrança de prazos.

  • Indústrias de qualquer setor.
  • Instituições financeiras.
  • Empresas do comércio e serviços.
  • Empresas públicas.
  • Empresas do setor de telefonia fixa e móvel, telemática, televisão aberta e por assinatura, internet, radiodifusão e radiotransmissão.
  • Provedores de acesso.

Telecomunicação é a emissão, transmissão e recepção das informações por fio, radiofrequência ou cabos ópticos. Os sistemas de telecomunicações estão revolucionamento o mundo. Eles vão além dos tradicionais sistemas de telefonia, TV e rádio. Aplicativos como e-mail, Facebook, Instagram, Skype, Smart TV, Smart fone, Twitter, Google, jogos eletrônicos em rede, Youtube e outros tantos aplicativos que estão na Internet, só existem porque os sistemas de telecomunicações fornecem a infraestrutura necessária para seu funcionamento.

O curso tem duração de 2.590 horas, com um tempo médio de 7 semestres para conclusão do curso.

  • Internet.
  • Redes de Computadores.
  • Sistemas de telefonia fixa e móvel.
  • Sistemas de TV por assinatura, digital ou analógica.
  • Sistemas de radiodifusão.
  • IoT (Internet das Coisas)

O mercado mundial de telecomunicações é extremamente dinâmico. Em fevereiro de 2017 o mundo já atingiu mais de 2 bilhões de conexões LTE (acrónimo de Long Term Evolution, em português Evolução de Longo Prazo), a evolução da tecnologia 3G para 4G. Comparando com o último ano, isso significou um aumento de 74% no número de assinaturas. As expectativas colocam que o marco dos 3 bilhões será atingido em 2018 e dos 5 bilhões até 2022. 

Podemos exemplificar essa dinâmica com base também no mercado nacional, mesmo esse não sendo um pioneiro em tecnologias móveis, comparado com o mundo. No caso do Brasil, no momento atual, ainda não temos uma rede de serviços móveis de 4° geração totalmente implementada, mesmo com todos os investimentos feitos para os eventos mundiais como a Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas 2016. Por outro lado, já se fala das possibilidades da 5° geração de serviços móveis. Em outros tempos, cinco a dez anos atrás, eram lançados os serviços triple Play (serviço que combinada dados, voz e multimídia sobre um único canal de comunicação de banda larga). Agora já estão no mercado os serviços quad Play (combinação do triple Play com serviços sob demanda das redes sem fio).

Mesmo em um momento econômico e político complicados no Brasil nestes últimos dois anos, e até mesmo uma leve redução na demanda dos serviços de TIC, alguns números se mostram bastante significativos e otimistas para o horizonte das telecomunicações. Por exemplo, em feveriro de 2017 foram registrados mais de 67 milhões de acessos em banda larga 4G no país. Isso significa 120% mais acessos que no mesmo mês de 2016. Já considerando a banda larga móvel como um todo, incluindo o 3G, fechou o mês de fevereiro de 2017 com 196,4 milhões de acessos, sendo deste total 37 milhões de novas conexões de 4G.

Já o número de municípios com acesso 4G cresceu 254% em relação a fevereiro de 2016. As redes 4G estão instaladas em quase 1700 municípios do país, nos quais vivem aproximadamente 74% da população brasileira, enquanto o 3G está em mais de 98% dos municípios.

Considerando a banda larga fixa e móvel, ainda em fevereiro de 2017, já haviam 223,3 milhões de acessos no país. Deste total, 26,9 milhões são de acessos pela rede fixa, o que significa um aumento de 5% neste mercado.

Outro nicho de mercado ainda a ser explorado é o IoT (Internet das Coisas). A adoção de IoT no mercado brasileiro ainda é lento, mas as expectativas de investimentos são positivas. É previsto que até 2025 o Brasil venha a ter entre 150 e 200 milhões de objetos conectados.

Na expectativa de investimentos, a Vivo vem anunciando a aplicação de R$ 24 bilhões de reais entre 2017 e 2019, especialmente em dados. A empresa prevê um crescimento no setor na casa de dois dígitos para esse ano de 2017, focados na fibra, na TV e nos serviços móveis.

No Rio Grande do Sul os movimentos mais significativos no mercado de telecomunicações recentemente foram a aquisição da GVT pela Vivo/Telefônica e a chegada da Algar Telecom no território gaúcho. A Algar já investiu mais de R$ 25 milhões em uma primeira fase de entrada no mercado do Rio Grande do Sul, chegando inicialmente a 12 munícipios, iniciando pela região metropolitana.

Sim, este profissional pode solicitar seu registro no CREA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Sul.

  • A capacitação para o exame de certificação CISCO-CCNA®, que é umas mais requeridas certificações profissionais do mercado de tecnologia da informação e comunicação, integra o currículo do curso, oportunizando a inserção e valorização do aluno no mercado de trabalho.
  • Aulas gratuitas de nivelamento e reforço em matemática. 
  • Aulas práticas em laboratórios especializados e formados por equipamentos profissionais.
  • Aulas teóricas e práticas articuladas com o mundo do trabalho. 
  • Auxílio didático por meio da monitoria acadêmica. 
  • Curso reconhecido pelo MEC (Ministério de Educação) com nota 4, de uma pontuação que vai 1 a 5, confirmando a sua excelente qualidade.
  • Currículo atualizado e concebido por meio de comitê de empresas e entidades de classe que atuam na área de redes de computadores.
  • Estacionamento gratuito. 
  • Estreita sintonia com o mercado de trabalho. 
  • Formação por competências.
  • Laboratórios especializados nas áreas dos cursos. 
  • Parcerias com importantes empresas das áreas dos cursos: Altus, Cambium Networks, CISCO, IBM, Microsoft, Oracle, Siemens, entre outras.
  • Professores com formação e experiência profissional na área.

Nº DE DISCIPLINAS

Nº DE CRÉDITOS

VALOR MENSAL (R$) * **

3

12

481,11

4

16

641,48

5

20

801,85

6

24

962,22

7

28

1.122,59

Graduação Tecnológica| Matrícula mínima: 12 créditos
Valor do crédito: R$ 240,56
* A matrícula mínima é válida para ingressantes a partir de 2018/2.
** Valor mensal é 1 das 6 parcelas que compõem o pagamento do semestre.

Unidades com turmas abertas

Porto Alegre - Faculdade SENAI

Valor Total: Conforme tabela créditos.
Valor Total: Conforme tabela créditos.
Leve esse curso para sua empresa

Desenvolvimento de cursos personalizados, in company e resolução de outras demandas de que a sua empresa precisa.