Você está aqui

Big data para a indústria: 3 aplicações que você precisa conhecer

Faz tempo que uma nova fase da indústria está em curso, conhecida principalmente como 4ª Revolução Industrial, ou ainda, Indústria 4.0. Trata-se de um contexto mediado pelo uso da tecnologia, pela Internet das Coisas (IoT), inteligência artificial e processos automatizados que, em maior ou menor grau, dependem e estão vinculados ao Big Data.

Com o uso crescente dos recursos digitais, a geração de dados é gigantesca e, por isso, eles precisam ser corretamente coletados, tratados, analisados e armazenados. É, em linhas gerais, isso que chamamos de Big Data, — o qual, quando utilizado de forma eficaz, traz inúmeros benefícios econômicos, produtivos e competitivos para uma indústria.

Quer entender mais sobre esse fenômeno? Então, confira, a seguir, seus benefícios e conheça 4 aplicações do Big Data para indústrias!

O que é o Big Data?

Muitas pessoas já estão familiarizadas com o termo. Mas, para quem ainda não conhece, Big Data é o nome dado ao conjunto volumoso de dados coletados por meio de fontes diversas e que está em constante atualização.

As informações desse grande banco de dados provêm do maquinário, dos eventos de chão de fábrica, da interação dos públicos externos com a marca e até da navegação de usuários e funcionários em demais plataformas digitais. Os dados podem ser coletados desde o recebimento do fornecedor até a entrega ao consumidor.

O que acontece é que todos os processos de coleta e monitoramento dos dados só faz sentido quando as informações são sistematizadas e oferecem uma visão clara sobre situações e eventos que envolvem a indústria.

big data

Quais são os benefícios do Big Data para indústrias?

A análise dos dados é útil para compreender tendências de mercado, desejos e preferências da clientela, comportamento dos funcionários, padrões de operações e gargalos nos processos produtivos. A partir dessa avaliação precisa, é possível perceber uma realidade com base em dados e, então, tomar decisões estratégicas para o crescimento do negócio e melhoria nas operações industriais. Desse modo, confira alguns benefícios do uso do Big Data na Indústria 4.0!

Eficiência na produção

As etapas operacionais são acompanhadas a partir de leituras que identificam correlações e entraves na cadeia produtiva. Desse modo, o uso de máquinas é monitorado e gera uma quantidade de dados constantemente, que permite identificar em quais momentos a produção deve ser acelerada ou a qualidade dos produtos melhorada. Além disso, os dados ajudam na segmentação da produção ao mesmo tempo que integra todos os processos da cadeia produtiva.

Prevenção de falhas

O Big Data auxilia na manutenção dos equipamentos por meio de um trabalho que identifica falhas no maquinário ou antevê possíveis acidentes e complicações. Tais informações auxiliam os gestores a substituir peças ou criar soluções para que a cadeia produtiva não seja interrompida. Trata-se, essencialmente, de uma gestão de riscos otimizada. 

Personalização

Com a análise de dados sobre o comportamento dos clientes, é possível prever adequações nos produtos e oferecer para o mercado algo personalizado de acordo com o desejo do público. As segmentações são, ainda, um benefício oriundo do uso desses dados. 

Redução de custos

Uma consequência do aumento da eficiência na produção e na conquista do mercado consumidor é o aumento dos lucros. Contudo, antes disso, é possível reduzir gastos de infraestrutura ao identificar, com antecedência, os problemas da produção, a sobreposição de tarefas e a destinação equivocada de recursos.

big-data

Aplicações do Big Data na indústria

Agora que você conhece os benefícios do uso do Big Data na indústria, confira como esse conceito pode ser aplicado na prática!

1. Transportes e fornecimento

Um dos maiores problemas das indústrias é gerado pelo transporte de cargas. Para isso, há softwares de coleta e análise de dados que permitem monitorar e pensar estrategicamente todos os deslocamentos, tanto da matéria-prima que chega até a fábrica quanto do produto que vai para o mercado ou para o consumidor.

As soluções, nesses casos, fornecem informações sobre tempo/distância de rotas, rastreamento em tempo real da mercadoria, sistema de segurança para transportes, uso de GPS e gerenciamento de tráfego (evitando congestionamentos e atrasos de entregas).

2. Mídias e Marketing

O uso de dados, — principalmente aqueles que são provenientes das redes sociais —, já se consagrou no mercado, para compreender os hábitos dos usuários e melhorar as formas de relacionamento. Desse modo, toda estratégia de Marketing de Conteúdo é baseada precisamente nos dados provenientes da navegação dos usuários e das informações que eles fornecem às empresas por meio de interações, negociações e compras.

A partir do que foi recolhido, é possível estabelecer uma abordagem diferenciada, com atendimentos personalizados. Além disso, torna-se viável alterar a produção para oferecer conteúdos e mercadorias que estejam alinhados com os desejos do consumidor. A lógica é a mesma para acompanhar e oferecer melhores condições de trabalho para seus funcionários por meio de técnicas de endomarketing. 

3. Inteligência das máquinas e nas operações

Sensores e dispositivos podem acompanhar as atividades tanto das máquinas quanto dos funcionários que trabalham com elas. Assim, os dados coletados informam o tempo de produção, a situação dos produtos e os eventos adversos na cadeia produtiva.

A novidade, aqui, é o cruzamento do Big Data com o Learning Machine, proporcionando o aperfeiçoamento das máquinas de forma inteligente e com base no volume de dados gerados durante seu funcionamento. Essas é uma das principais tendências da indústria 4.0, quase uma cena de filme futurista: maquinário capaz de criar modelos analíticos de dados e aprender por conta própria.

O setor financeiro também ganha com o processamento de dados. Otimizar e automatizar folhas de pagamento, fluxo de caixa, relação de impostos a pagar e planejamento tributário são algumas das áreas contempladas pelo uso de softwares de gestão de dados. Além disso, o Big Data é aplicado para gerenciar informações de contas bancárias, uso de cartões e transações financeiras em larga escala, o que facilita na visualização panorâmica da saúde econômica do negócio.

Essas são algumas das aplicações e dos benefícios do uso do Big Data na indústria. Como você viu, de forma mais ou menos acentuada, a tecnologia tem sido usada como mediadora da maioria dos processos de produção. Seu uso vai desde a coleta da matéria-prima até a relação de pós-venda com o consumidor final.

É na otimização dessas etapas e no estabelecimento de correlações entre elas que o Big Data tem atuado com frequência. Contudo, mais do que coleta, ele se refere à inteligência por trás dos dados, sendo parte fundamental na gestão e tomada de decisões de uma indústria que quer se manter competitiva e moderna. Para ter toda essa efetividade, é essencial utilizar softwares adequados à demanda de cada fábrica e que ofereçam pacotes cada vez mais completos de Big Data. 

Gostou deste conteúdo? Para continuar atualizado, você pode continuar se informando com nossos artigos, bastando seguir-nos nas redes sociais!

Terça-feira, 25 de Junho de 2019 - 12h12

Deixe um Comentário

4 + 7 =