Você está aqui

NutPlus - a bebida da casca da noz pecan

Confira como o SENAI ajudou a Santa Leocádia Agroindústria a desenvolver uma bebida não alcoólica, refrescante, saborosa e saudável a partir da casca da noz pecan.

O PROJETO

A Santa Leocádia Agroindústria é uma empresa familiar que produz noz pecan no distrito de Santa Flora, pertencente ao município de Santa Maria – RS. Além das nozes in natura, a empresa também comercializa os frutos em embalagens prontas para o consumo, assim como nozes quebradas, granuladas, farinha e nozes caramelizadas, com chocolate, com canela e com pimenta na linha Magnuts.

Aproximadamente 50% do fruto da noz pecan é composto pela casca que, muitas vezes, acaba sendo usada como adubo natural ou destinada à incineração. Contudo, estudos recentes têm avaliado as características nutricionais da casca de noz pecan e relatado o elevado teor de taninos e demais polifenóis que atuam como antioxidantes naturais, proporcionando inúmeros benefícios para a saúde. Além disso, observou-se o hábito regional de beber o chá destas cascas para fins terapêuticos.

Assim, pensando em unir os benefícios para a saúde com a otimização do uso dos subprodutos da noz pecan, surgiu a ideia do Projeto NutPlus. Coube ao Instituto SENAI de Tecnologia em Alimentos e Bebidas, em parceria com a Santa Leocádia Agroindústria, estudar as condições de processamento da casca da noz pecan a fim de maximizar a inserção do conteúdo de taninos em uma bebida formulada para ser ingerida gelada e pronta para o consumo.

O RESULTADO

Como resultado, foi desenvolvida uma bebida com 3 sabores diferentes: hibisco e pêssego, preferido do público feminino, de linda coloração e com ação levemente relaxante; limão, uma opção para os amantes das bebidas mais cítricas e energéticas; e manga e maracujá, uma versão mais tropical, suave e adocicada. Em todas as versões, a bebida não tem açúcar adicionado, uma vez que o dulçor foi cuidadosamente encontrado com a adição de edulcorantes naturais com stévia e eritritol.

Além disso, foi alcançado o teor de aproximadamente 200 miligramas de taninos condensados por litro da bebida pronta para o consumo, concentração superior à encontrada em chá-verde comercial.

Por fim, foram entregues estudos de processamento e extração de casca da noz pecan, onde foram relatadas as condições de temperatura, tempo e granulometria da matéria-prima.


Tem uma ideia inovadora? Conte com os modernos parques tecnológicos e com a expertise dos profissionais do SENAI para desenvolvê-la! Entre em contato conosco e traga seu projeto para os Institutos SENAI de Inovação.

Outros cases

08/05/2018
Manopla em polímero de alto desempenho – maior mobilidade para cirurgiões.
poltrona_flexcomfort_connect_kids artali
09/09/2020
Desenvolvimento de poltrona para transporte infantil que se ajusta conforme a necessidade, integrando funções...
17/11/2021
A reciclagem e reaproveitamento de resíduos é um dos principais problemas do setor de moda e vestuário. Buscan...