Válvula Esfera em Materiais Poliméricos

Veja como ajudamos a Micromazza a produzir a ‘Válvula Esfera em Materiais Poliméricos’, que é capaz de suportar altas pressões das linhas de gás natural, com um nível de degradação menor que as atuais produzidas em aço.

Válvulas e Conexões para Gás Natural

O material frequentemente utilizado na confecção de tubulações e válvulas para linhas de gás natural é o aço. Apesar de o aço oferecer uma alta resistência a pressões, sua utilização requer proteção contra corrosão, ainda mais quando utilizado em linhas instaladas próximas à redes de transmissão de energia. Em função dos altos custos associados à corrosão, tem-se buscado a substituição do aço por materiais poliméricos. Como alternativa, já está sendo utilizado em novas linhas de gás natural o termoplástico polietileno, entretanto, as linhas com este material tem seu uso limitado a pressões de até 7 kgf/cm2.

Outro termoplástico que surgiu como opção para fabricação de tubulações para linhas com pressões de até 18 kgf/cm² foi a poliamida. Entretanto, as linhas de distribuição de gás natural com tubulações em poliamida, tem utilizado válvulas de aço, e tal prática exige o uso de transições para fazer a união destes diferentes materiais (aço e Poliamida), além da necessidade de proteção contra corrosão localizada.

Nesse contexto a empresa Micromazza, fabricante de válvulas industriais em aço, e as empresas ARKEMA e EVONIK, produtoras de Poliamida 11 e Poliamida 12, respectivamente, procuram o Instituto SENAI de Inovação em Engenharia de Polímeros, unidade credenciada a EMBRAPII, para desenvolvimento das novas válvulas e conexões. Além da parceria entre as empresas e o Instituto, o projeto contou com o fomento de recursos da EMBRAPII (Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) que apoia o desenvolvimento e pesquisa tecnológica para inovação na indústria brasileira.

Nova válvula e conexão para alta pressão em Poliamida

As novas válvulas e conexões de soldagem por eletrofusão (com 63 mm de diâmetro), desenvolvidas em Poliamida 11 e Poliamida 12, já foram submetidas à pressão de 38 kgf/cm2, que é duas vezes maior que a pressão máxima utilizada em linhas gás natural com tubulações em Poliamida, durante os testes hidrostáticos e de estanqueidade, não apresentando vazamentos ou deformações. Atualmente, as válvulas estão em processo de qualificação para permitir sua utilização nas linhas de gás natural.
Instituto SENAI de Tecnologia em Petróleo, Gás e Energia também contribuiu no projeto apoiando na execução do desenvolvimento e dimensionamento das resistências que compõem as conexões de soldagem por eletrofusão.

Inovação é o futuro da indústria. Sempre podemos transformar boas ideias em soluções inteligentes. E para isso, conte com o SENAI-RS.

Walter Câmara - Gerente de Novos Produtos e Relacionamento Mercado

O desenvolvimento desse projeto de válvula Esfera em Material Polimérico, contou com a participação do SENAI Polímeros e foi de grande efetividade, profissionalismos e competência para o sucesso do projeto. Principalmente depois da gestão pelo Eng Vinícius Oliveira, que coordenou magnificamente o projeto, nas suas etapas de desenvolvimento, apoio as normas técnicas, gestão da fabricação dos moldes e injeção dos mesmos, testes conclusivos e registro técnico. Nossa satisfação é alta e diretamente relacionada a decisão de implementarmos um segundo projeto EMBRAPII para a válvula de DN 125mm que nos levará a um novo desenvolvimento, face as novas exigências técnicas de projeto e moldes, compatíveis a pressão e adaptação ao material polímérico. Por fim agradecemos ao SENAI que se não fosse por sua atuação efetiva, não teríamos alcançado o sucesso obtido.

fomento-embrapii

Cenário atual

Na indústria, o gás natural é utilizado como combustível para fornecimento de calor, geração de eletricidade e de força motriz. Também é utilizado como matéria-prima nos setores químicos e petroquímicos, principalmente para a produção de metanol, e de fertilizantes, para a produção de amônia e ureia. É usado ainda como redutor siderúrgico na fabricação de aço.

O gás natural proporciona uma combustão limpa, isenta de agentes poluidores, ideais para processos que exigem a queima em contato direto com o produto final, como na indústria de cerâmica, fabricação de vidro e cimento.

Pode ser utilizado nos seguintes segmentos:
Siderúrgico: fundição, corte e solda de metais (custo menor que o acetileno, seu competidor);
- Petroquímico: fabricação de borracha, polímeros, álcoois e éteres;
Combustível industrial: indústria de vidros (moldagem, solda e acabamento), indústria cerâmica (queima e secagem), indústria de papel e celulose (secagem) e indústria alimentícia;
Agropecuário: secagem de grãos, controle de pragas e queima ervas daninhas, aquecimento e esterilização de ambiente de criação de animais.

Fonte: Petrobrás

Outros cases

12/06/2020
Criação de novos modelos de sofá reclinável e sofás fixos com maior apelo em design.
Selff Design - Poltrona Cubo-senai
11/08/2020
Criação de produto com maior apelo em design, buscando atingir novas regiões e os mercados de São Paulo e Rio...
melhoria_de_processo_produtivo
29/01/2021
Melhorar o desempenho dos processos produtivos é uma condição importante para reduzir os custos operacionais e...