Você está aqui

Modernização já é uma palavra de ordem no setor industrial: a imagem de fábricas robustas e com máquinas velhas já tem ficado de lado, dando espaço para um cenário mais tecnológico e eficiente. Uma cultura de inovação na indústria tem crescido e tornado os processos mais otimizados e integrados, desde o chão de fábrica até o escritório dos gestores.

Técnicas e soluções inovadoras são responsáveis por reduzir gastos desnecessários, evitar falhas na cadeia produtiva e aumentar lucros, criando respostas estratégicas e inteligentes para problemas na empresa. Para ficar por dentro desse cenário, conheça agora 7 dicas de como promover a inovação na indústria e deixar o negócio mais competitivo!

1. Questione e investigue

Inovar não é necessariamente criar algo novo, do zero, podendo significar também a transformação ou o refinamento de algum produto, processo ou ideia. Nesse sentido, toda inovação surge da curiosidade e do questionamento daquilo que já existe, com o intuito de criar uma solução mais adequada para determinada necessidade.

Por isso, estimular a dúvida, a pesquisa e o questionamento em relação a trabalhos já realizados é um dos primeiros passos para a mudança. Nesse contexto, algumas perguntas-chave desse processo são “Será que isso está funcionando? Poderia funcionar melhor? Como promover essa melhoria?".

Lembre-se de que esse processo deve ser parte essencial da cultura corporativa, a fim de elevar o nível dos negócios e permitir que ele alcance resultados melhores. Estratégias de endomarketing, que envolvam os funcionários, podem ser úteis na consolidação dessa conduta.

2. Melhore o produto

A inovação só faz sentido quando alinhada a uma necessidade ou anseio de melhoria, principalmente vindos do cliente. Seja a remodelagem de embalagens, a adaptação da estratégia de marketing ou a alteração na composição de uma mercadoria: todas essas alternativas inovadoras devem visar o refinamento do produto a partir das demandas e desejos do seu público consumidor.

Busque, portanto, formas de aprimorar seu produto final, lançar novas mercadorias ou reposicionar sua marca a fim de mantê-la atraente e competitiva. Para fazer isso, é fundamental ter um conhecimento apurado sobre o perfil da sua clientela. Técnicas de coleta de dados do seu público ou de potenciais consumidores são úteis na elaboração de estratégias de venda e crescimento, a exemplo do Marketing de Conteúdo

3. Foque também nos processos

A inovação na indústria não diz respeito apenas ao resultado final, ou seja, à entrega do produto para o consumidor. Antes disso, ela está relacionada ao desenvolvimento e otimização de toda linha de produção. Isso pode se traduzir em soluções criativas para modelos de gestão, na adoção de técnicas que auxiliem as tomadas de decisão, na modernização das máquinas e até em modificações na interação das informações da cadeia produtiva.

Um exemplo disso é a aplicação de tecnologias de monitoramento e automação no chão de fábrica, capazes de acompanhar o desempenho das máquinas, a relação entre elas próprias e com os funcionários, harmonizando as etapas de produção e diminuindo gargalos.

4. Busque novas tecnologias

Como acabamos de mencionar, inovação, hoje em dia, é quase sinônimo de tecnologia. Por isso, soluções modernas para refinar a linha de produção têm sido cada vez mais procuradas para evitar contingenciamentos nas etapas e melhorar a qualidade dos produtos. Ou seja, fique por dentro de novos lançamentos, de tendências tecnológicas e utilize tudo isso a seu favor.

O uso de grandes bancos de dados (o Big Data é exemplar nesse sentido), uma vez que aplicado ao contexto industrial, tem facilitado o acompanhamento e a avaliação de uma grande quantidade de dados, a qual é transformada em informação de fácil visualização.

Recorrer às tendências da inteligência artificial também é uma boa estratégia. Afinal, elas estão sendo utilizadas para melhorar o transporte, armazenamento, produção e distribuição tanto de matéria-prima quanto de produtos finais.

5. Acompanhe os resultados

Inovar é, sim, uma atividade com certo grau de risco. Entretanto, ela deve ser realizada a partir de dados concretos. Soluções para diferentes problemas só podem ser pensadas a partir do conhecimento minucioso de sua natureza e por meio de uma análise contextual que permita criar soluções com base em expectativas coerentes.

É por isso que a adoção contínua de índices de avaliação e métricas de resultados é tão importante para indústrias. Acompanhar a performance das máquinas e dos próprios funcionários, monitorar resultados de vendas, níveis do estoque, ter um controle de caixa eficiente, analisar a capilaridade e o reconhecimento da marca são alguns exemplos de eventos que precisam ser monitorados.

Essas métricas podem ser conhecidas também como KPI’s (key performance indicator), ou seja, indicadores-chave de desempenho. Tratam-se de algumas avaliações que devem ser medidas nos processos de produção e vendas, as quais são úteis para analisar o desempenho de determinadas ações diante dos objetivos estipulados e das ideias implementadas.

6. Capacite seu time

Por ser parte da cultura organizacional, a inovação deve ser uma constante dentro da corporação. Para que isso ocorra, é necessário que seus funcionários estejam a par das tendências do mercado e que encontrem espaços para criar.

Ambientes saudáveis, que permitem que seus empregados se sintam mais livres e flexíveis, podem ajudar na geração de novas e boas ideias. Afinal, trabalhadores que se sentem mais corresponsáveis e parte da empresa também tendem a contribuir mais com o crescimento do negócio.

Nesses casos, o senso de coletividade e motivação que cada um desenvolve é fundamental para a implementação da inovação na indústria. Além de serem estimulados, em todo processo de mudança ou aplicação de novos métodos ou tecnologias, os colaboradores devem ser treinados e informados a respeito, a fim de evitar qualquer resistência da equipe ao novo.

7. Seja tolerante aos riscos

É preciso que os gestores saibam que inovar não oferece 100% de garantia, e que ter ideias não é sinônimo direto de sucesso. Esse processo deve unir criatividade a um trabalho contínuo, sendo, muitas vezes, meticuloso.

Para promover a inovação na indústria, a cultura organizacional deve ser construída a partir da tolerância aos riscos, às eventuais falhas e ao redirecionamento dos planos em sinais de esgotamento. Aceitar e trabalhar com erros é, inclusive, uma forma de consolidar a cultura de inovação, prática que envolve tentativas, experiências, acertos e fracassos.

Estas foram algumas dicas para você implementar mudanças na sua empresa! Mas lembre-se: cabe aos gestores pensar a respeito de espaços que tenham mecanismos de comunicação eficientes e que ajudem a compartilhar e consolidar um ambiente propício à inovação na indústria.

Se a sua empresa tem uma ideia inovadora e precisa de um parceiro para desenvolver um projeto, você pode inscrever esta ideia no Edital Gaúcho de Inovação para a Indústria. A iniciativa, que é uma iniciativa Sebrae, IEL, Sesi e Senai, busca construir soluções inteligentes de forma colaborativa para estimular a competitividade na indústria gaúcha, ou seja, é ideal para as organizações que querem inovar contando com o apoio de uma equipe especializada.

Se você gostou do nosso artigo e que saber mais sobre as tecnologias e tendências para indústrias, assine a nossa newsletter e receba diretamente por e-mail os nossos conteúdos!


Por Redator Senai
quarta-feira, 27 de Novembro de 2019 - 0h00

Deixe um Comentário

4 + 3 =