Você está aqui

Senai-RS tem projeto aprovado em edital com a temática Pilotos IoT para indústria

O projeto Test Bed IoT: Qualidade do produto e rastreabilidade da movimentação de ativos por “Realtime Location Systems”, do Instituto Senai de Inovação em Soluções Integradas em Metalmecânica, de São Leopoldo, foi aprovado no Edital Sesi Senai Sebrae - Chamada temática – Pilotos IoT para Indústria.  Com recursos do Embrapii e BNDES, a chamada especial teve como objetivo a criação de ambientes de testes de soluções tecnológicas (testbeds) em Internet das Coisas (IoT) para a indústria, atuando em parceria com grandes e médias empresas interessadas em explorar comercialmente as soluções tecnológicas testadas. O projeto do Senai gaúcho contou com cartas de interesse de quatro empresas e uma associação setorial e terá 18 meses para ser executado com R$ 1,5 milhão, em recursos.

Os testbeds são plataformas experimentais modulares, economicamente viáveis, criadas a partir de requisitos operacionais definidos por um conjunto de setores industriais, em que soluções tecnológicas podem ser testadas em ambiente controlado, mas que reproduz em escala um cenário real.

O projeto do Instituto Senai de Inovação em Soluções Integradas em Metalmecânica, um dos dois projetos aprovados, vai desenvolver e implementar tecnologias IoT para a inspeção da qualidade e rastreabilidade do produto e do processo (cadeia de suprimento, incluindo suas operações fiscais relativo a Nota fiscal eletrônica, inventário e logística reversa), a partir de tecnologia RTLS (Real Time Location System) indoor/outdoor.

O ambiente possibilitará implementar cenários de aplicação específicos orientados para automatização de ações performáticas, maior agilidade na produção e na expedição, integração entre ERP e geração de notas fiscais eletrônicas, controle total de estoque e movimentação de embalagens, experimentar e conectar diferentes tecnologias em um ambiente de não produção, construir os requisitos finais do produto ou processo usando os resultados dos testes e identificar oportunidades de produtos e serviços fora do escopo inicial.

Publicado quinta-feira, 14 de Março de 2019 - 16h16