AV. ASSIS BRASIL, 8787, SARANDI, PORTO ALEGRE-RS | CENTRAL DE ATENDIMENTO 0800 51 8555 

Você está aqui

inovação

O último dia do 2º Congresso Internacional de Inovação, promovido pela FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi, abordou o tema "Ambiente regional para a inovação", intermediado pelo diretor presidente do Movimento Brasil Competitivo (MBC), Cláudio Gastal, e com a participação de secretários de governo do Rio Grande do Sul.

Um dos temas de destaque do 2o Congresso Internacional de Inovação, realizado pelo Sistema FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi, foi o desafio do processo de inovação com a alternância de poder.

Na primeira palestra do Congresso, na manhã desta terça-feira (24), o professor de gestão em tecnologia e inovação da Universidade de Sussex, Joe Tidd, abriu os trabalhos falando sobre "Inovação e Empreendedorismo" e as realidades nos diversos países. "O processo de inovação não deve ser apenas nas áreas científicas e tecnológicas, para elaboração de novos produtos e serviços, mas também nos processos de gestão dentro das empresas", opinou Tidd.

Apesar da importância da integração entre empresas e universidades no surgimento da inovação, conforme foi apresentado no primeiro dia do 2º Congresso Internacional de Inovação, na FIERGS, há outros mecanismos para inseri-la nas empresas. A inovação através de outros meios foi um dos pontos apresentados pelos painelistas durante o segundo dia do evento, que reúne especialistas nacionais e internacionais até esta quarta-feira (25).

Por que as empresas, de uma maneira geral, investem pouco em inovação no Brasil? Segundo a presidente da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento de Empresas Inovadoras (Anpei), Maria Angela do Rego Barros, o principal empecilho é a complexidade e a burocracia para ter acesso aos recursos disponíveis.

A primeira palestra do 2º Congresso Internacional de Inovação, promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS), destacou a agricultura e a indústria como setores de maior impacto na economia mundial nos próximos 20 anos. David Sawaya, analista político do International Futures Programme (IFP), da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), afirmou que estes segmentos deverão ter um grande aumento de investimentos.

O desenvolvimento sustentado é resultado do binômio educação e inovação, lembrou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, Paulo Tigre, na abertura oficial do 2º Congresso Internacional de Inovação, promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS). Tigre citou o Encontro Nacional da Indústria, realizado na última semana, em Brasília, quando foi definida a Carta da Indústria 2009, e afirmou: "É necessário radicalizar na educação. A indústria e o Brasil que sonhamos demandam educação de qualidade.

A primeira palestra do 2º Congresso Internacional de Inovação, promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RS), destacou a agricultura e a indústria como setores de maior impacto na economia mundial nos próximos 20 anos. David Sawaya, analista político do International Futures Programme (IFP), da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), afirmou que estes segmentos deverão ter um grande aumento de investimentos.

Começou nesta segunda-feira, 23 de novembro, o 2º Congresso Internacional de Inovação, no Centro de Eventos FIERGS, em Porto Alegre. A abertura oficial acontece às 13h30min, com a presença do presidente do Sistema FIERGS, Paulo Tigre, autoridades e lideranças empresariais. "A inovação é a chave para a competitividade das empresas e para o desenvolvimento do País e, consequentemente, determinante para o aumento da produtividade e da renda real.

Especialistas nacionais e internacionais em inovação e empreendedorismo, lideranças empresariais e governamentais estarão presentes no 2º Congresso Internacional de Inovação, promovido pelo Sistema FIERGS, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), que acontece na próxima semana, de 23 a 25 de novembro, em Porto Alegre.