Você está aqui

Você sabe o que é a fabricação aditiva? Confira!

Talvez você já tenha ouvido falar do termo fabricação aditiva, mas esteja curioso para entender melhor do que se trata. Algumas dessas tendências ficaram bastante conhecidas, como é o caso da impressão 3D.

processo produtivo está em constante evolução desde a primeira Revolução Industrial e as tecnologias têm contribuído para deixá-lo cada vez mais eficiente, otimizando recursos e diminuindo o tempo gasto em todas as etapas. Além disso, atualmente, os resultados conseguem alcançar um nível de perfeição muito maior do que há anos.

Quer entender um pouco mais desse universo e descobrir como funciona a fabricação aditiva? Continue acompanhando o texto!

O que é fabricação aditiva?

Antigamente, o método subtrativo era o mais utilizado para fabricar objetos. Ou seja, os materiais eram trabalhados de forma a se obter o produto desejado, como uma pedra que é talhada até virar uma ferramenta, — processo que pode gerar resíduos, os quais são, normalmente, desperdiçados.

Por sua vez, na manufatura aditiva acontece justamente o contrário: a ideia é sobrepor camadas de materiais para conseguir uma nova criação. O detalhe é que, nos dias de hoje, isso ocorre com base em modelos digitais, ou seja, o produto final tem o seu desenho elaborado em um programa de computador que serve de referência para a sua impressão.

As impressoras 3D operam nesse modelo de adição de camadas e sempre foram muito usadas para a criação de protótipos. Sua popularização revolucionou diversos setores do mercado e permitiu que qualquer pessoa tivesse a oportunidade de produzir dentro de casa.

Para ter uma noção de como isso funciona, imagine uma impressora comum (em 2D, como as que usamos para imprimir papel) que ao invés da tinta usa materiais em pó, gel, plástico ou metal.

Assim como enviamos um documento do computador para ser impresso, é possível ordenar a reprodução de um objeto idealizado em um programa específico. Então, as camadas vão sendo construídas sucessivamente até que o resultado final seja alcançado.

Quais tipos de benefícios ela oferece?

Há algumas vantagens em apostar na fabricação aditiva. Não dá para dizer que ela já substituiu ou superou os processos tradicionais de manufatura, mas sua relevância é crescente em inúmeros segmentos da economia. Confira a seguir os principais benefícios envolvidos!

Economia

Um dos seus maiores privilégios é ser uma alternativa econômica. Abrir uma fábrica requer um investimento muito maior do que comprar uma impressora 3D. Embora o potencial de produção seja mais baixo, a economia pode valer muito a pena para iniciar um negócio, validar ideias no mercado e oferecer produtos customizados para os clientes.

Praticidade

A simplicidade do processo aditivo é um dos fatores que mais atraem as pessoas. É claro que produtos mais complexos exigem um conhecimento maior, sem contar que toda produção precisa de um modelo digital bem feito para dar certo. Mesmo assim, todo o processo consegue ser mais rápido, simples e prático.

Liberdade

Muitas pesquisas e um pouco de expertise na modelagem são capazes de garantir resultados incríveis. E como não há tanta dependência de pessoas ou empresas para desempenhar as funções, qualquer um pode ser o criador, oferecendo mais liberdade no momento da produção.

Ainda existem alguns pontos a serem otimizados, mas as possibilidades são muito variadas: peças de avião e carros, casas completas, equipamentos eletrônicos, comidas, roupas, próteses e órgãos humanos. Sim, a Medicina e a vida humana também foram impactadas.

Sustentabilidade

Em tempos em que a sustentabilidade é tão discutida para evitar ainda mais impactos negativos para o meio ambiente, eliminar resíduos é um ótimo caminho. Nesse sentido, a manufatura subtrativa tem esse problema de gerar muito desperdício, sem falar que nem sempre os resquícios são descartados da melhor forma. Logo, a ideia da adição é mais sustentável em relação a esse ponto de vista.

fabricação aditiva

Quais são as suas aplicações?

Depois de conhecer mais sobre as particularidades da fabricação aditiva, resta saber como ela pode ser aplicada. Por mais que esse assunto pareça ser uma novidade, ele já faz parte das nossas vidas, mesmo que você nunca tenha visto uma impressora 3D de perto.

Afinal, há mais de 30 anos essa tecnologia é estudada. Um dos setores em que a aplicabilidade está mais avançada é o aeroespacial. A GE (General Eletric), que é uma das empresas de renome nessa área, já utiliza o conceito aditivo nas suas fabricações e destaca a maior leveza das peças.

O segmento automotivo se beneficia de forma semelhante. A Volkswagen é um exemplo de companhia que investiu na impressão 3D e conseguiu melhorar o desempenho das suas fábricas. A redução do peso das partes dos automóveis também é importante, pois influencia até o consumo de combustível.

Em geral, o varejo é outro beneficiado com a praticidade de produção de objetos de consumo pessoal, levando em conta que a logística desse mercado é facilitada com a melhor distribuição dos pontos de produção.

Para completar os exemplos, — ainda que as possibilidades não acabem por aqui —, temos a Medicina e toda a área da Saúde, que é bastante sensível. Os estudos de aplicações da tecnologia aditiva para o corpo humano são impressionantes.

Em um nível menos complexo, podemos considerar a fabricação de moldes dentários ou de aparelhos auditivos que já são realizados de forma totalmente diferente do passado. No entanto, as perspectivas vão muito além de produzir um equipamento ou uma peça bucal.

Pedaços de pele e partes de órgãos estão entre as expectativas mais promissoras. É como ter uma chance de recuperar os danos causados por uma queimadura ou uma doença, além de poder acabar com o problema da rejeição dos transplantes de órgãos. 

Enfim, estamos falando de um avanço capaz de otimizar processos e ainda salvar vidas, não é mesmo? A fabricação aditiva é algo tão revolucionário que precisamos acompanhar de perto para conhecer todos os seus benefícios que estão surgindo e que ainda estão por vir.

Gostou de saber mais sobre o assunto? Aproveite para compartilhar este artigo nas suas redes sociais e informar os seus colegas. Seja um disseminador de conhecimento e de boas ideias!

Terça-feira, 25 de Junho de 2019 - 14h14

Deixe um Comentário

16 + 0 =