Você está aqui

Embora o conceito de AIoT ainda seja relativamente novo, já existem muitas possibilidades para melhorar a experiência de clientes em empresas e setores industriais, principalmente no que diz respeito a produtos de consumo e serviços. 

Essa tecnologia está estimulando uma progressão fascinante de dispositivos conectados e os benefícios que eles trazem. Hoje, muitos aparelhos dependem de Inteligência Artificial (IA) para fornecer mais vantagens ainda. 

Para você se familiarizar com o tema, vamos conceituar AIoT, mostrar qual a diferença dele com a IoT e apresentar as principais mudanças que isso está causando no mercado. Continue a leitura para ficar atualizado com as tendências da indústria!

O que é AIoT?

É a combinação de tecnologias de Inteligência Artificial com a infraestrutura da Internet das Coisas (IoT). Ou seja, ela une a otimização e o tratamento da IA com a necessidade de dados e análises da Internet das Coisas, criando soluções capazes de oferecer personalização e aprendizagem ao mesmo tempo. 

A ideia é obter operações mais eficientes, melhorar as interações homem-máquina e aprimorar o gerenciamento e a análise de dados. Os sistemas são conectados, analisam hábitos, padrões e preferências de praticamente qualquer coisa, tomam decisões rápidas e acertadas.

Qual é a diferença entre AIoT e IoT?

Para entender a diferença, pense que as “coisas” da Internet das Coisas são dispositivos portáteis, como geladeiras, assistentes digitais, sensores e diversos equipamentos que estão conectados à internet. Eles são reconhecidos por outros aparelhos, coletam e processam dados.

Inteligência artificial é quando um sistema é capaz de concluir um conjunto de tarefas ou aprender com os dados de maneira que pareça inteligente. Portanto, quando a Inteligência Artificial é adicionada à internet, significa que os dispositivos entendem as informações e tomam decisões sem o envolvimento de seres humanos.

A AIoT é transformacional e tira vantagens mútuas de ambas tecnologias, pois a IA contribui para a IoT por meio de recursos de aprendizado de máquina e a IoT agrega valor à IA com conectividade, sinalização e troca de dados. 

Quais mudanças a AIoT traz?

Agora que entendeu o conceito de AIoT e a diferença dela para a Internet das Coisas, confira o impacto que essas duas tecnologias juntas estão causando. Pode ser que você se interesse em fazer um curso técnico em IoT, quem sabe?

Casas inteligentes

Atualmente, muitos aplicativos de AIoT são especializados em produtos de varejo e se concentram na implementação da computação cognitiva em aparelhos de consumo. Por exemplo, a tecnologia de casa inteligente é considerada parte da AIoT à medida que os aparelhos "aprendem" por meio da interação e resposta humana.

Em termos de análise de dados, o método combina o processo de aprender do equipamento com redes e sistemas de IoT para criar "máquinas de aprendizado". É aplicado em casos de uso de dados corporativos e industriais para aproveitar o que foi recebido da IoT e automatizar tarefas em um local de trabalho conectado. 

Câmeras que reconhecem rostos

O uso de câmeras de segurança são fundamentais no setor de varejo para impedir que os produtos sejam furtados. O Walmart confirmou que instalou câmeras de segurança habilitadas para IA em mais de 1.000 lojas. É uma tecnologia de visão computacional chamada Missed Scan Detection (Detecção de Digitalização de Perdas).

O sistema reconhece o rosto dos compradores e notifica a empresa caso alguém saia com o produto sem escaneá-lo. Embora o potencial de vigilância seja evidente, muitas pessoas podem ficar apreensivas com a falta de privacidade. Nesse sentido, os varejistas têm um desafio para encontrar o ponto de equilíbrio entre reduzir roubos e fazer com que os clientes se sintam confortáveis.

Carrinhos de compras inteligentes

Muitas marcas estão experimentando carrinhos de compras de alta tecnologia. Os que foram implantados pela rede de supermercados Sobeys, localizada em Oakville, adaptam as recomendações de compras usando aprendizado profundo e visão computacional.

Eles identificam os itens na medida em que estes são adicionados às cestas. As telas mostram ofertas próximas enquanto os compradores percorrem a loja e, depois, escolhem pagar com cartão de crédito, Apple Pay ou Google Pay.

Sensores que analisam comportamento

Sensores inteligentes para identificar os clientes ajudam a revelar informações que, de outra forma, seriam perdidas. Quando as pessoas param, olham para uma tela e ficam lá por alguns segundos, esse comportamento indica que algo atrai a atenção delas inicialmente, mas, por algum motivo, desinteressam-se.

Isso significa que a aplicação da tecnologia para o varejo é capaz de fornecer previsões que auxiliam os gestores a se tornarem responsivos. Por exemplo, se as últimas quatro noites de sexta-feira eram mais movimentadas no setor de eletrodomésticos das 18h às 20h, é possível sugerir que outros empregados cubram o turno.

Espelhos que sugerem compras

Experimentar várias peças de roupas para escolher as que mais gostamos pode ser uma tarefa estressante. A IBM está tentando aliviar o aborrecimento, oferecendo espelhos que dão conselhos sobre quais itens ficam melhores. 

No futuro, a marca pretende permitir que o objeto faça ações mais incríveis, como identificar problemas de postura e até possíveis doenças de pele, ao mesmo tempo em que notifica o usuário da necessidade de procurar o dermatologista.

Ferramentas para estacionamento

Todo motorista, vez ou outra, sofre com falta de vaga para estacionar. No entanto, a IoT pode resolver esse problema, principalmente com a ajuda da IA. Sensores aéreos coletam dados sobre carros recebidos e níveis de ocupação atuais. Então, o cliente visualiza sinais digitais que os orienta para o estacionamento mais próximo disponível.

A tecnologia também fornece detalhes sobre o tempo médio que o carro fica no local, quais entradas são mais usadas de manhã, à tarde ou à noite e se incentivos como acesso gratuito aos domingos são lucrativos.

Como você viu, a AIoT combina tecnologias de Inteligência Artificial com as inovações da Internet das Coisas. A diferença entre elas é muito simples: a primeira é mais complexa, pois abrange o recurso de ambas. Nesse cenário, é importante pensar sempre pelo lado positivo. Ou seja, as inovações precisam ser vistas como oportunidades de evolução, nunca um empecilho.

O que você achou das mudanças causadas pela AIoT? Qual delas mais chamou a sua atenção? Deixe um comentário!

quinta-feira, 10 de Setembro de 2020 - 9h09

Deixe um Comentário

3 + 9 =